No final de março, cerca de 300 meninos do instituto salesiano Pio XI passaram algumas horas da manhã no grupo familiar de Nomadelfia, em Roma. Três dias dedicados aos alunos do ensino médio (respectivamente o biênio, o terceiro, o quarto e o quinto do ensino superior) e um dia de conhecimento para os professores: uma boa oportunidade de viver juntos um momento de reflexão e oração perto da Páscoa.

Entre os temas aprofundados, vocação, partilha, fraternidade. O leitmotiv da reflexão, a ressurreição. Quem acreditou olhou para um ponto fixo, o Jesus ressuscitado; ele começou a compartilhar a vida - como testemunham as primeiras comunidades cristãs - e a planejar um futuro possível: "Vá e faça discípulos de todos os povos".

Seguindo o convite do Papa Francisco, partimos com um impulso simples e um compromisso concreto: estar imerso na vida e não olhar para ela da varanda. De fato, quando você olha as coisas de cima, elas sempre parecem bonitas - como ver uma cidade grande de um avião - mas quando você desce e se aproxima dela, vê todos os problemas e contradições. Nesse momento, o desafio deve ser aceito sem deixar que o entusiasmo seja roubado. “Não olhe para a vida da varanda, por favor: não se coloque na cauda da história. Seja protagonista! "

Vivemos em uma sociedade que gostaria de tornar os jovens "silenciosos e invisíveis", que encontram mil maneiras de "anestesiá-los e dormi-los para que não façam" barulho ", porque não fazem perguntas e não se questionam". O desejo do Papa Francisco pela Semana Santa é especialmente dirigido "a vocês, queridos jovens, a alegria que Jesus desperta em você é por alguns motivos de aborrecimento e até de irritação, porque um jovem alegre é difícil de manipular". Então, cultivemos essa alegria e não permanecemos calados, mesmo que "o mundo esteja silencioso e perca a alegria".

“Queridos jovens, você é capaz de dizer não? - é a pergunta feita por Don Zeno aos jovens em 1979 - É um momento ruim e bonito porque você pode fazer muito. O que você quer fazer Olhe para o seu rosto: quantos você pode acenar, dar vida? Mas dê vida! Diga não! Nós não queremos essa civilização, nós queremos uma nova vida e você tem que fazer isso de novo. E os jovens podem fazer isso ".