Hoje, segunda-feira 23 de março, Carlo Casini, o histórico fundador do Movimento pela Vida e um grande amigo de Nomadelfia, partiu para a Vida Eterna. Pedimos ao nosso querido amigo Giorgio Gibertini, seu colaborador próximo, que nos escrevesse um pensamento para lembrá-lo juntos.

No doloroso silêncio desses dias inesperados de quarentena, meu amigo Carlo Casini, fundador do Movimento pela Vida Italiana, incansável guerreiro de luz e vida, morreu para muitos de nós um verdadeiro mestre, um verdadeiro " segundo pai ".
Minha atividade prolife me levou a colaborar com ele por pelo menos vinte anos e tenho muitas boas lembranças (também de reuniões aqui no Nomadelfia) que estão lentamente ressurgindo na mente e logo encontrarão um espaço no espaço e no tempo.
Quero lembrar-me dele como um homem de fé, antes de tudo, porque nas longas viagens que fizemos sozinhas de carro, de Estrasburgo a Partinico, ele nunca perdeu uma soneca regeneradora, mas também uma recitação igualmente regeneradora do Santo Rosário.
Foi ele quem endossou a colaboração entre o MPV e a Nomadelfia, porque ele conhecia e apreciava Don Zeno, e porque conhecia e apreciava o seu caminho contínuo de testemunho pela vida e eu, então gerente nacional de jovens, segui esse desejo.
"Aqui me sinto em um paraíso", ele me dizia todas as vezes no final de uma Junta em seu grupo de João Paulo II em Roma, que organizei nos anos em que trabalhei no Secretariado Nacional do MPVI.
Agora, Charles, você está no céu com Don Zeno, João Paulo II, Madre Teresa de Calcutá, rei Baudouin e muitos outros amigos seus sobre os quais sempre nos falou.
Nós o acompanhamos em oração e agradecemos a Deus pelo presente de conhecê-lo e, pessoalmente, pela honra de poder colaborar com você para o bem comum por um longo tempo.