Com uma reflexão de Don Zeno de 25 de dezembro de 1959, desejamos a todos um Santo Natal

“O Natal é uma grande festa, uma boa festa.

Mas é certo que Jesus foi mal recebido pela humanidade, muito mal. Sua mãe nem sequer encontrou um lar para se refugiar para dar à luz seu filho. E assim a história continuou ao longo dos séculos.

Se quiséssemos procurar o Menino Jesus hoje, certamente teríamos encontrado aquele que sabe onde, onde não o imaginamos. Teríamos encontrado isso em crianças que nasceram e morreram quando nasceram; talvez o tivéssemos encontrado em crianças que, assim que nasceram, foram abandonadas pelos pais; talvez o encontrássemos em certos lugares onde miséria, fome e sofrimento tornam tudo triste.

Se você quer ver o Natal, você não deve ir à nossa igreja ou aos outros, você tem que ir, com sua imaginação, para as cavernas, para as choupanas, para o meio daquele sangue inocente que flui: há choro de Cristo. Então vá à igreja, ao templo para oferecer sua vida pela redenção com as mãos ensanguentadas por esse sangue.

Vamos para o Natal e encontraremos a imensa alegria de ser quem devemos ser,

Ore para que o bebê Jesus o ilumine, ore à Madonna que experimentou toda essa tristeza, esse frio, esse deserto, para ter consciência de que ela se tornou a Mãe de Deus e o Redentor e o povo não queria hospedá-la, enviando-a para um stamberg imundo, sujo, fedorento e frio. . Tente pedir à Madonna para esclarecer você, isso faz você sentir por um momento aquela tristeza, aquela amargura, um momento só que rasga ...! Ore.

Não vamos entender mal: quero dizer o Natal daquele Menino Jesus que dirá no Juízo Final: "Era eu neles ... E você não me viu". Nós, por outro lado, devemos orar a Deus para mostrar isso para nós e para que possamos indicar isso para os outros.

Temos que ver o Natal nas profundezas do sofrimento humano como ponto de partida para a regeneração do mundo em nós mesmos ".