"Em um período muito trágico, entre as duas guerras, o Espírito soprou e despertou formas de vida comunitária que vivem o amor recíproco, como fizeram as primeiras comunidades dos apóstolos, e se entregam pelo mundo ”. Com estas palavras, Jesus Moran, sacerdote e co-presidente do Movimento dos Focolares, Maria Voce, Presidente, nos acolheu e alguns deles os conselheiros do Centro Internacional do Movimento dos Focolares em Rocca di Papa Em vista do dia 10 de maio, quando o Papa Francisco visitará Nomadelfia e a Mariápolis de Loppiano, um pequeno grupo de Nomadelfia quis saber mais sobre o Movimento dos Focolares. A pequena delegação, composta por alguns adultos, meninas do ensino médio e crianças do jardim de infância, ouviu um testemunho de Friederika e Angel, focolarinos com uma vida em comum e membros do conselho geral. Conheceram então Maria Voce, presidente do Movimento dos Focolares: “Compartilhamos redescoberta do Evangelho que Chiara e don Zeno fizeram: o Evangelho nunca deixa de nos educar, nos surpreender e nos desafiar ".

Tanto a história de Chiara Lubich como a de Don Zeno falam do desejo de responder, ainda que de formas diferentes, para a necessidade de Unity, um sinal do amor de Deus por todos os homens. A frase que Jesus dirige ao Pai está escrita no túmulo de Chiara: 'que eles são um'; na paróquia de Nomadelfia, no altar, a mesma frase latina é relatada 'ut unum sint '.

Aqui, nesta proximidade do Espírito, aguardamos a visita do Papa Francisco e queremos lembrar, como disse Chiara, "olhar para todas as flores do jardim de Deus: todo mundo é maravilhoso".