Estamos conversando sobre isso há três anos, porque os contatos começaram no final de 2016, mas agora é uma questão de avançar para os fatos.  Nomadelfia irá para a Tanzânia.

Em resposta ao convite dos monges do mosteiro de Mvimwa, os Nomadelfi decidiram montar um grupo familiar na região de Rukwa, a mais pobre da Tanzânia, um dos estados mais pobres do mundo.

A intenção é trazer a proposta de Nomadelfia entre essas populações. A confraternização das famílias é uma perspectiva que, em um mundo tradicionalmente solidário, pode representar a proposta inovadora capaz de identificar novas formas de desenvolvimento social.

Não seremos professores nem proporemos lógicas da civilização ocidental baseadas no individualismo, na busca do bem-estar pessoal etc.

Não vamos trazer bem-estar econômico, porque não somos uma empresa ou uma ONG.

Iremos, na ponta dos pés, compartilhar uma vida, viver como irmãos. Na carta convite, o abade Pambo nos indicou um lema latino, que resume bem o significado de nossa partida: Simul eamus, vamos caminhar juntos.

Tudo isso pode parecer irracional, também porque as dificuldades que nos foram colocadas parecem insuperáveis: idioma, cultura, estilo de vida etc. Mas não podemos basear isso em cálculos humanos, no "combina comigo ou não combina comigo" ...

Fomos chamados e tentamos responder, confiando no Senhor e na força chocante do Evangelho.

Para a pequena e pobre realidade de Nomadelfia, sem dúvida, representa um grande compromisso de pessoas, de energias. Como sempre, confiamos em Providence, que sem dúvida nos apoiará nesta iniciativa.

Começaremos comprando um terreno e construiremos as casas para um grupo familiar no estilo das casas da vila vizinha e, ao mesmo tempo, começaremos a aprender alguns termos da língua suaíli e a nos dar a conhecer.  E nisso, as crianças mais jovens que já aprenderam o sinal da cruz, os cumprimentos, os nomes dos animais e as partes do corpo, estão nos precedendo.

Para realizar este projeto, também precisamos da sua ajuda.

Pedimos que você nos apoie o máximo que puder, especialmente com a oração, para que a vontade de Deus seja feita.