Em 21 de maio, o abade Pambo Martin Mkorwe, do mosteiro beneditino de Mvimwa, na Tanzânia, chegou a Nomadelfia.

Nossas relações com o mosteiro que está localizado em uma das regiões mais pobres da Tanzânia começou em 2016 com a visita do abade anterior, o abade Denis Ndomba. O jovem abade passou a ver por si mesmo a realidade comunitária de Nomadelfia, com a qual o mosteiro decidira viajar juntos, com a intenção de levar vida comunitária às famílias cristãs ligadas ao mosteiro.

Embora a visita tenha sido breve, ele teve a oportunidade de conhecer os meninos da escola, os sacerdotes de Nomadelfia, alguns Nomadelfi e até mesmo assistir ao ensaio musical do final do ano. Ele almoçou em nossos grupos familiares, percebendo a realidade particular das famílias que compartilham o cotidiano, com todas as suas limitações e dificuldades. As reuniões foram facilitadas pelo seu conhecimento da língua italiana.

Ao saudar a população, ele disse sobre o convite para levar a proposta de Nomadelfia à Tanzânia: "Estou pessoalmente convencido de que este é um plano de Deus. Estamos nos passos do profundo discernimento. Lentamente, chegaremos ao ponto de tomar decisões, mas primeiro queremos entender e depois colocar todas as coisas nas mãos de Deus, porque não somos nós que decidimos, mas o Senhor que queria esse caminho e somos apenas ferramentas para trazer sua vai. Quando fica nas mãos de Deus, porque o nosso tempo não é o tempo de Deus, o kairos de Deus, o tempo certo para realizar qualquer projeto de salvação. Para mim, este é um projeto de salvação para todos nós. Então, há um momento certo. Nós pensamos em como realizar este projeto, eu também oro por isso. Nós não dizemos que amanhã começaremos imediatamente, não. Passos são necessários. Nós não tentamos resolver todas as dúvidas agora. Tudo tem um tempo certo. Existe o kairos, o tempo de Deus, quando chega aquele tempo de Deus, ninguém vai pensar em suas dúvidas. Estaremos sozinhos para realizar este projeto. Colocamos todas as coisas nas mãos de Deus e ficamos disponíveis para dizer sim à vontade de Deus. Assim nós trazemos o Evangelho adiante ".